Moinhos de Rodízio

Galeria de Imagens

A origem dos moinhos está intimamente relacionada com o aparecimento da agricultura e o consequente cultivo dos cereais.
Numa primeira fase o homem utilizou a fricção de duas pedras, mós dormentes e moventes, para triturar os cereais obtendo desta forma uma farinha granulosa que desfeita em água era cozida e comida.
Esta simples acção marca o início das técnicas moageiras que posteriormente evoluíram para aparelhos mais complexos onde a acção do vento ou da água era utilizada para pôr em funcionamento as mós que trituravam os grãos.

Moinhos da Ribeira do Couto

Já nos finais do séc. XIX, as estruturas molineiras do Ribeiro do Couto são referidas pelo Abade de Miragaia na obra “Portugal Antigo e Moderno” como um dos locais pertencentes à paróquia de Vilarinho da Castanheira onde existiam 3 fogos habitacionais.

Ao longo do século XX este local foi crescendo em importância e número de habitantes, ao ponto de ser designado localmente como “a aldeia dos moinhos”. Esta designação traduz a realidade do local, onde chegou a habitar sazonalmente uma boa percentagem da população de Vilarinho da Castanheira.

No Ribeiro do Couto podem ser observadas estruturas molineiras tradicionais com as suas levadas e represas e vários outros edifícios funcionais como fornos de cozer pão, palheiros, pombais e habitações. Todo este conjunto, ainda bem preservado, testemunha o “modus-vivendis” tradicional desta população nos finais do séc. XIX e inícios do séc. XX.

Manuel Marcos mantém algumas memórias da sua antiga atividade profissional enquanto moleiro no Ribeiro do Couto.

Depoimentos orais

Íamos à Lousa a buscar as farinhas nas burras, trazíamos para aqui e moía-se, ao outro dia levávamo-la aos donos. Aqueles que tinham a grainha, deles, davam-na para trazermos para moer e depois levávamos a grainha. Aqueles que não tinham, encomendavam-nos o cereal e a gente comprava-o e moía-o e levava-lho a casa.”

Visitar

Para visitar contacte a Loja Interativa de Turismo da Câmara Municipal de Carrazeda de Ansiães
Terça a domingo – 09h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h30
e-mail: lit@cmca.pt

Telf. 278 098 507