Património industrial no território de S. João da Pesqueira. Espaços, momentos e ambiências de transformação e interpretação da paisagem cultural

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Artur Oliveira

Resumo

O percurso a apresentar neste artigo representa a diversidade e dinâmica da história das técnicas, do caráter multifacetado do património industrial num território agrícola, da sua relação com a paisagem e a sua interpretação na contemporaneidade. Dos vários recursos patrimoniais disponíveis e da relação com o território, são mencionados os primeiros momentos de protoindustrialização, expressos nos sistemas tradicionais de moagem com a indicação de vários espaços moageiros associados à cultura dos cereais, do sumagre e da azeitona. No momento de transformação industrial desse território são enunciados os primeiros espaços mecanizados, como sejam os lagares de azeite, abordando-se ainda as vivências da exploração mineira. Associado a este período subsiste a construção do caminho-de-ferro da linha do Douro, travessia que proporcionou o aparecimento de estruturas e a posterior transformação da paisagem da Ferradosa. Este percurso finaliza com elementos recentes de património industrial e, que podem ser beneficiados por novas utilizações e tornar-se suportes de interpretação da paisagem.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Oliveira, Artur. «Património Industrial No território De S. João Da Pesqueira. Espaços, Momentos E Ambiências De transformação E interpretação Da Paisagem Cultural». Revista Memória Rural 1, no. 1 (Novembro 24, 2018): 131-149. Acedido Setembro 26, 2020. https://museudamemoriarural.pt/revistamemoriarural/index.php/revista/article/view/23.
Secção
Artigos da revista nº 1
Biografia Autor

Artur Oliveira, Câmara Municipal de São João da Pesqueira

Técnico de Património Cultural. Doutorando em Estudos do Património pela Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa,Centro Regional do Porto. Colaborador do CITAR, Centro de Investigação em Ciência e Tecnologia das Artes.